Berlinale…

Li, esta manhã no comboio, a opinião de André Rui Graça, que opina no Observador, sobre cinema. A tese deste investigador, que se dedica ao estudo do “insucesso comercial do cinema português”, no texto que intitula “Uma agulha num palheiro: cinema português em Berlim” é: falamos  muito da nossa representação no festival de cinema de Berlim mas, afinal, não é assim tão significativa.

Vejamos um dos exemplos que aponta no seu texto:

Por exemplo, na secção Forum, Portugal apresenta dois filmes (sendo um deles na prática um filme suíço), quando a China e o Canadá apresentam, cada um, quatro, o México e a Alemanha três e a França tem participação em outros quatro.

Quando li pensei logo que os dados não eram assim tão maus… É pouco ter metade dos filmes da china? Mas para fazermos estas comparações tomemos outro termo de comparação de cada um dos países. A população, por exemplo…

País Filmes População (milhões) Rácio População/Filmes
Portugal 2 10,46 5,2
China 4 1338,61 334,7
Canadá 4 35,16 8,8
França 4 66,03 16,5
México 3 122,3 40,8
Alemanha 3 80,62 26,9

Com uma pesquisa rápida na Internet mais um pouco de matemática de mercearia chegamos à conclusão que  Portugal tem afinal, no exemplo apontado, um filme por cada 5,2 milhões de habitantes, a china 1 filme por cada 334,7 milhões e a Alemanha para cada 26,9 milhões. mesmo que tivéssemos apresentados apenas um filme, uma vez que argumenta ainda que o outro é na prática é suíço, teríamos um filme por cada 10,46 milhões de habitantes sendo portanto no exemplo o segundo país melhor representado, ficando apenas depois do Canadá com um filme por cada 8,8 milhões de habitantes.

Saberá o investigador muito de cinema mas pouco de matemática porque o exemplo apontado prova exatamente o contrário da ideia que queria fazer passar!

Bom, bom seria trazer o número de filmes apresentados por Andorra, por exemplo!

Mas o artigo é de 19 de fevereiro e no dia 20 Leonor Teles, como sabemos,  foi premiada o que indica que além da quantidade, na opinião do júri, também nos podemos orgulhar da qualidade dos filmes a concurso!

Olhar crítico é necessário, mas por vezes acho que por cá gostamos mesmo é de fado e que perdemos algumas por vezes boas oportunidades de ficar calados!

Eu perco muitas certament, mas escrevo apenas num blogue que ninguém lê!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s