Como se fosse preciso…

Definem dias no calendário para tudo, até para me lembrar de ti.

Meus senhores, muito obrigado mas não era preciso.

Lembro-me todos os dias de ti. Não me lembro quando partiste, esqueci o dia e o ano em que aconteceu, apenas me lembro de ti, do teu sorriso das tuas gargalhadas.

Falta um dia, para o dia em que, oficialmente, me deveria lembrar de ti e eu, atrasado como sempre, ainda nem decidi se irei ao lugar onde dizem que repousas para estar mais perto de ti. Eu que te sinto sempre comigo, mesmo estando longe desse lugar. Se for será puro egoísmo, serão saudades do tempo em que estavas lá para me ralhar por descer as encostas da serra no carroço de rodas de charrua, por deixar a camisola na serra, por não querer entrar na fonte. Será para te rever na varanda da casa onde hoje já ninguém vive a chamar por mim.

Arranjam dias para tudo, até dias para me lembrar de ti.

Não era preciso meus senhores, vendam lá as vossas flores, façam as cerimónias nos cemitérios, eu não preciso de dias para me lembrar de ti, nem deste nem de nenhum outro!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s