Quand on n'a que l' amour

Esta noite, eu e a Isabel, vamos ver o Salvador Sobral interpretar músicas de Jacques Brel. Na impossibilidade de ouvir o próprio, penso que ouvir os poemas interpretados pelo Salvador seja um óptimo compromisso. Tinha pensado em comprar bilhetes mas nem foi preciso. No Natal, recebemos os bilhetes como prenda da parte do meu filho André. Podemos dar muita coisa a um filho. A maioria … Continue a ler Quand on n'a que l' amour

Praga

Sei que já foste a Praga várias vezes. Penso que sempre sem mim. Foste, várias vezes, com amigos, nas tuas viagens pela Europa, porque Praga é  uma cidade de referência para quem viaja pela Europa. Também eu já estive em Praga, sem ti. Lembro-me de reconhecer alguns dos lugares que tinha visto na “Insustentável leveza dos ser”. Lembro-me de um museu, no cimo de uma … Continue a ler Praga

Ingénuo

Ingénuo pensei que, com o passar dos anos, custaria menos. Não custa. O tempo só aumenta as saudades do teu sorriso. Posso vir aqui verter mais umas letras, gritar a todo o mundo como sinto saudades tuas, mas isso não diminui a minha dor. Vejo as fotos dos outros, com as suas mães neste dia e, no mais profundo do meu ser, invejo-os. Sinto-me como … Continue a ler Ingénuo

A música do dia (13)

  “Simples lamento” é o título da canção de hoje. Não se deixem iludir pelo “simples” do título. É um lamento, mas não é simples. É uma canção bonita de um neto para o avô. Quem, como eu, conhece o Tiago Correia sabe que cada palavra é sentida, o que torna a música  mais especial ainda. Conheci o Tiago no seu primeiro ano no ensino … Continue a ler A música do dia (13)