Alguém conhece uma aplicação grátis para…

É assim que começam muitas dos pedidos de sugestões de software dos professores. Estamos habituados a não pagar, ou simplesmente a pensar que não pagamos, pelas aplicações que usamos e este passa a ser o primeiro critério na hora de escolher os programas que usamos, esquecendo, muitas vezes, que não há almoços grátis. Muitas vezes, as quantias nem são avultadas, mas, para muita gente, é … Continue a ler Alguém conhece uma aplicação grátis para…

No tempo em que se davam beijos!

Houve um tempo em que as pessoas se beijavam. Na boca, algumas. Era frequente, em muitos países, quando as pessoas se encontravam beijarem-se. E havia até formas diferentes de o fazerem: desde beijos em que os lábios entravam em contacto com a bochecha da outra pessoa até àqueles que eram simplesmente atirados para o ar. Embora em Portugal o costume do beijo nos reencontros estivesse … Continue a ler No tempo em que se davam beijos!

Sim, é possível parar!

Costumo usar o Fligth Radar cada vez que o meu filho voa. De cada vez, enquanto não encontro o seu voo , descubro uma península cheia de aviões. Depois de filtrar, o dele aparece a vermelho, mas sempre um entre muitos outos. Quando pensávamos que não havia alternativa a viajarmos, quer fosse por trabalho ou por lazer, descobrimos que, afinal, é possível parar! Ainda não … Continue a ler Sim, é possível parar!

Cada vez mais perto!

Começou por ser uma doença nova, lá na China. E, como tudo que é longe, lá na China, não parecia ainda muito real. Depois passou para a Europa e, lembram-se, continuamos a fazer piadas com o zero de infetados em Portugal. Depois de Itália, depressa Espanha passou também a ser um país com um grave problema e questão de dias para termos também em Portugal … Continue a ler Cada vez mais perto!

Vamos continuar a fazer coisas, embora, talvez, não as mesmas coisas e não do mesmo modo!

Uma coisa é certa, todos estão a fazer o melhor que sabem e podem! Refiro-me ao ensino, mas tenho a certeza que todos estão a fazer tudo o que sabem e podem em muitos outros campos. É difícil saber, neste momento, quanto tempo a crise vai durar. No entanto, penso que se durar pouco fazermos pouco não terá grande importância e, se durar muito, talvez … Continue a ler Vamos continuar a fazer coisas, embora, talvez, não as mesmas coisas e não do mesmo modo!

Um dia de domingo

Obrigado! O texto coletivo que se segue, sobre um dia de domingo, foi escrito ontem, um dia de domingo, por 11 pessoas espalhadas um pouco por todo o país! Usamos um documento partilhado Google Docs para escrever a várias mãos, cada um a partir de suas casas. Ainda hoje partilharei um pequeno vídeo com instruções para gerar um link que permita criar um texto coletivo … Continue a ler Um dia de domingo

Não faças nada!

Por vezes, pedem-nos tão pouco e nós nem isso fazemos. Enquanto muitos cuidam dos que já estão infectados, repõem prateleiras com bens essenciais ou vão para os empregos que não podem parar, a outros é pedido apenas que não façam nada, que fiquem em casa! Nem isso conseguem fazer, inchados dos seus egoísmos de quem não admite que lhe digam o que fazer! São os … Continue a ler Não faças nada!

O tempo não é tempo de cantigas

O tempo não é o tempo de cantigas e os italianos parecem não ter percebido isso ainda! Numa altura em que um único país da Europa já registou mais vítimas mortais que a China devemos para para pensar que tempos vivemos e quais devem ser as nossas prioridades. Longe de querer ser alarmista, penso que corremos mais riscos se formos despreocupados em demasia. O vídeo … Continue a ler O tempo não é tempo de cantigas