E se em vez disto… aquilo!

A propósito da campanha dos lábios vermelhos, vejo que alguns propõe outros assuntos de indignação e, se calhar, com razão. No entanto, não é nova esta estratégia de quando alguém defende uma causa virem lembrar que há outras. Ajudam estes, quando deveriam ajudar aqueles…. Chamam a atenção para isto, quando deveriam chamar para aquilo, Lembram-se dos velhos quando esquecem os jovens, ou dos jovens quando … Continue a ler E se em vez disto… aquilo!

Aquela coisa

As televisões, a pretexto da campanha para as presidenciais, passam imagens daquela coisa dizendo e defendendo barbaridades que deveriam colocar alerta todos os que tenham, pelo menos, dois neurónios. Da América chegam ecos de como aquelas coisas se agarram ao poder, de como manipulam, de como são perigosos. Não se coíbem de mentir, de propagar falsidades de semear o caos! Não é preciso saber muito … Continue a ler Aquela coisa

Soube hoje

Soube hoje, logo pela manhã, que um homem perdeu a filha. Num acidente estúpido, como o são todos os acidentes, um pai perdeu a filha que, por acaso, tinha a idade da minha. Sei que todos os dias pais perdem filhos e filhos perdem pais. A maioria dos que perdem a vida são anónimos, como eu, e, quando ouvimos um relato de mais um trágico … Continue a ler Soube hoje

Pátria e A linha invisível

Vi, por estes dias, duas séries sobre a organização basca ETA. A primeira, Pátria, conta a história de duas famílias que se vêm envolvidas nas lutas pela independência do País Basco quando o membro de uma participa no assassinato do patriarca da outra. A segunda, retrata os primeiros tempos da organização e como a “linha invisível” foi ultrapassada quando aconteceram as primeira mortes que vieram … Continue a ler Pátria e A linha invisível

Sabes, eu, por vezes, também não sei!

Aos 51 anos tenho muitas dúvidas. Por vezes os mais novos pensam que, do alto da nossa idade, sabemos tudo. Que nunca nos enganamos, que, connosco, tudo dá certo. Nada de mais errado, em qualquer idade temos dúvidas, como Jean Gabin, no seu famoso poema, Maintenant Je Sais, temos que admitir que agora sabemos apenas que sabemos do que julgamos um dia saber. Quando duvidas … Continue a ler Sabes, eu, por vezes, também não sei!